segunda-feira, 15 de março de 2010

Onde fica a Terra do Nunca?

As crianças que são felizes. Têm a vida colorida de sonhos e descobertas, de brincadeiras, de som de passarinho, de pipa solta no ar. "O amor roeu minha infância, de dedos sujos de tinta”, já disse João Cabral de Melo Neto. A infância tem música alegre, cheiro de bolo de chocolate fresquinho e conversa boa no portão. Mas, eis que crescemos, e muito dessa magia se perde no ar. Parece que a vida se torna menos divertida quando as responsabilidades aumentam. 

Mas, sempre que penso em infância, lembro da Terra do Nunca, de Peter Pan, o menino que não queria crescer. Um lugar encantado, presente no imaginário das crianças; um lugar em que fadas não são apenas fantasia, mas realidade naquele mundo. Mas, elas só existem se acreditamos nela. E parece que até as crianças de hoje em dia estão perdendo essa magia da Terra do Nunca. Crianças querendo crescer rápido demais ou adultos esquecendo da criança que existe em cada um. As fadas estão morrendo, porque ninguém acredita mais nelas. O mundo está perdendo seu encanto porque a vida se tornou pesada demais.

É verdade que crescemos e temos que encarar a vida de uma forma mais responsável. Mas, isso não significa que precisamos nos tornar pessoas amarguradas. Pois “há um menino, há um moleque morando sempre no meu coração. Toda vez que o adulto balança ele vem pra me dar a mão”. A vida pode ser colorida, cheia de encanto. Mas também pode ser escura, aquele preto-e-branco que dá a impressão de que tudo está sempre igual. É só uma questão de escolha.

Eu escolhi pintar minha vida com as cores da infância. Por que não comer aquele bolo de chocolate fresquinho num domingo à tarde? Por que a vida tem que ser chata só porque ganhamos uns anos a mais? Eu descobri que a Terra do Nunca está dentro de cada um de nós, e que posso visitá-la sempre que eu quiser. Basta acreditar. E você? Já foi à Terra do Nunca hoje?

2 comentários:

Juli Mariano disse...

Isso é lindooo

Thiago disse...

Muito bom! Parabéns!!