terça-feira, 9 de março de 2010

Pra não dizer que não falei de música

Não se fazem mais cantores de rádio como antigamente. Aliás, ainda se fazem cantores assim? Outros tempos, outras músicas. Nem melhores, nem piores, apenas vivemos um outro tempo, e os novos artistas são representantes deste.

Mas, voltando à Era do Rádio... Vendo a minissérie “Maysa – Quando fala o coração”, e a que passou recentemente, “Dalva e Herivelto – Uma canção de amor”, me despertou um pouquinho mais a atenção para aquelas canções que eu já conhecia, mas nem de longe tinha noção das histórias por trás delas. Se já gostava das músicas, passei a gostar ainda mais.

No final do último capítulo de “Dalva e Herivelto”, a Rainha do Rádio, Dalva de Oliveira disse a seu filho que todos os artistas morrem do coração, porque amam demais. Analisando os grandes sucessos dessa época, a temática do amor realmente era constante – seja ele feliz ou não. De brigas e separações, de grandes histórias de amor, surgiram músicas como “Que será”, cantada por Dalva de Oliveira, “Meu mundo caiu”, de Maysa” e “Por causa de você”, de Tom Jobim e Dolores Duran, entre tantas outras.

Era muito sentimento que movia a criação dessas canções. E de todo esse amor, era o público que ganhava, podendo apreciar grandes sucessos. Essa foi uma época em que a verdade era o principal componente das letras. Cantava-se o que se estava vivendo. Talvez seja esse o segredo do sucesso.

Mas nem só de vozes femininas viveu a Era do Rádio. Nomes como o próprio Herivelto Martins estiveram bem presentes, além de outros como Ataulfo Alves e Francisco Alves.

Foram muitos sucessos embalando a época em que o rádio ainda era o principal meio de comunicação. Dessa época, também, acompanhamos o nascer da televisão e o crescimento de sua importância, invadindo os lares dos espectadores com mais informação e entretenimento, agora contando com o recurso da imagem.

Muitos artistas do rádio fizeram história na TV. Outros ficaram perdidos entre os LPs e as lembranças de seus ouvintes. E ver que hoje, mesmo com a Internet ganhando força na divulgação da carreira dos novos talentos, esses grandes nomes ainda sejam lembrados, é encantador. Afinal, eles ajudaram a contar uma linda – e intensa – parte da história da música brasileira. Eu sou fã!

2 comentários:

Carol Freitas disse...

Ai, a música!Vai ser sempre pouco tudo o que se disser a respeito...

A nossa felicidade é que tem gente de hoje que sabe fazer, de forma comtemporânea, o que esses grandes nomes fizeram no passado.

Sorte a nossa! =)

Luiz Alberto Machado disse...

Maravilha, amiga,tudo muito bão demais por aqui. Indicarei nas minhas páginas, aguarde.
Beijabrações & sucesso!
Luiz Alberto Machado
Escritor, compositor e radialista
www.luizalbertomachado.com.br
Novo mail: contato@luizalbertomachado.com.br
PS: não deixe de conferir o espetáculo infantil Nitolino no Reino Encantado de Todas as Coisas no blog Brincarte e a canção Crença: pelo direito de viver e deixar viver no Varejo Sortido do Guia de Poesia.