domingo, 1 de agosto de 2010

Caminhando.

 
“Sou um canal para a energia de cura do Universo.
Eu permito que a energia de cura de minha Alma flua através de mim”.

Eu preciso me curar. Me curar das impurezas do mundo, aquelas que ainda me fazem estar aqui, aquelas que ainda me fazem sofrer. Preciso eliminar o mal que ainda está em mim – e que, muitas vezes, deixo que me conduza -, para, aí, poder me sentir verdadeiramente pura e curada.
 
Não é doença do corpo que me acomete; é doença da alma. E está é muito mais poderosa e perigosa, pois não há remédio que a faça melhorar, a não ser a cura íntima. Preciso reformar-me, jogar no lixo o que não mais serve – o egoísmo, o orgulho, a ignorância. Dessa maneira, sobrará espaço para que a saúde reine em mim, e ocupará espaço o que realmente importa – o amor, a doçura, a caridade.
 
Mas não adianta ter pressa. A paciência – que é bem diferente da preguiça, é bom entender - é o caminho e a resignação o complemento. Um passo a cada dia, uma dose homeopática de ações no bem já é o começo. Um bom começo. Cuidar dos pensamentos também é um importante passa. A má sintonia também precisa ser eliminada. Por fim, caminhando nessa direção, alcançarei o equilíbrio, um passo decisivo para que eu me cure de mim mesma e me transforme naquilo que todos nós seremos um dia: um ser puro.
 
Simples? Nem um pouco. Mas é preciso começar de alguma forma, em alguma hora. Que tal agora? Para quê desperdiçar mais tempo e energia no que não me leva a lugar algum? Para quê caminhar errado se o caminho do bem está sempre disponível para quem o procurar? Eu decidi mudar. Quem vem comigo?

2 comentários:

Carol Freitas disse...

Eu vou. Me ensina como?

Bom ter vc de volta por aqui =)

Beijo!

João Lima disse...

eu tbm o/
feliz retorno carol! bjão!!